28.10.15

Campanha Cacifos Solidários

Vamos apoiar esta causa!


Fica aqui o link para contribuírem com o que puderem para a obtenção de Cacifos Solidários para a área de Lisboa. Os Cacifos Solidários, já existentes na zona de Arroios, são uma forma de garantir que pessoas em situação de sem-abrigo possam guardar os seus haveres. É uma forma de responsabilização que acarreta também o acompanhamento das pessoas por técnicos especializados. Para muitos este poderá ser o primeiro passo para sair da rua.  



 
A ACA (Associação Conversa Amiga) necessita de atingir o valor de 5,000 euros. Apoiem. Contribuam! 1 euro pode fazer toda a diferença.

24.10.15

em dias cinzentos ao pé do mar





Fui tomar o pequeno-almoço junto ao mar. Pouco depois, um amigo juntou-se a mim. Ficámos horas à conversa. O mar agitado, a chuva miudinha e as confidências de quem se conhece há anos. É uma excelente maneira de se iniciar o fim de semana!

22.10.15

baterias em baixo

Desde 2010, ano em que tive aquela gravíssima crise de anemia que volta e meia não me sinto lá grande coisa. Noto que me canso com facilidade. Aguento as rotinas diárias exigentes quando estou a trabalhar, mas no final do dia estou exausta e já não me dedico a mais nenhuma actividade.

Numa ida recente ao médico de família, para levar análises, ele quis saber se havia um historial de anemia na família. Pediu-me para fazer novas análises (hemoglobina e ferro) para perceber o que se passa e saber qual a terapêutica a aplicar. Na próxima semana vou buscar os resultados e depois é marcar nova consulta. Veremos se a coisa melhora e me venho a sentir mais energética para aproveitar melhor os dias com, por exemplo, um passeio de bicicleta.

Ao fim do dia opto por vir para casa ou ir até ao bar da praia ou a outro local sossegado onde possa estar por um bocado sozinha. Sinto necessidade de relaxar e recuperar energias. 

Amanhã é um novo dia. E tenho de estar preparada para os novos desafios!

16.10.15

em equilíbrio

É absolutamente estonteante a rapidez com que as semanas passam. Chegada a sexta-feira estou de rastos mas muito satisfeita. Estou a gostar dos desafios profissionais, e também pessoais, deste ano letivo. 

A experiência com os mais pequeninos tem sido muito interessante e tem-me obrigado a repensar muitas coisas em mim, na minha postura, na minha forma de agir, na minha forma de estar na sala de aula, na minha forma de me dar, na minha forma de ensinar. Estou certa de me tornar, no final do ano letivo, uma pessoa bem mais rica a muitos níveis.

Todos os dias sou alvo de demonstrações de afecto por parte dos pequenos: muitos abraços, muitos "Hello", "Good morning", "Good afternoon". Ainda ontem a caminho do carro para regressar a casa, passou um carro por mim e, de cabeça fora da janela, um dos pequenos gritou: "Goodbye, teacher!"

Todos os dias vivo  momentos bons, de sentimentos reais e muito genuínos e tento também todos os dias dar mais de mim, dar o meu melhor. 


Mas estou de rastos. O correr de uma escola para a outra, ainda que só em três dos dias da semana, começa a moer. Como chego a casa cedo, normalmente pelas 17h, o mais tardar 18h, aproveito sempre para relaxar um pouco: vou até ao bar da praia, por exemplo, leio um pouco, ou fico a fazer nada. Apenas relaxo e respiro e depois penso nas coisas. Penso em como ainda há poucas semanas estava a entrar em desespero por não conseguir vislumbrar uma saída. E agora, mesmo não estando na situação que idealizei para mim (afinal de contas descobri que também eu tenho ambições) estou grata pelo que consegui. Tenho trabalho, estou ocupada a fazer aquilo de que gosto e que sei fazer, vou ganhar um ordenado que me permite a minha independência económica e a partir daí o resto se desenvolverá. 

Infelizmente ainda não consegui organizar-me devidamente. Tenho planificações em atraso, que tenho mesmo de despachar este fim de semana, pois em breve tenho de começar  a preparar fichas e testes. 

A vida é doce. E mais doce com estes pequeninos que eu tive a sorte de ter neste momento na minha vida. 

11.10.15

na altura certa


Vista da esplanada do Teatro Taborda 

A semana foi dura. Muito trabalho. Muito stresse. Muito cansaço. Novas aprendizagens com a Formação de Rua - Curso de Formação em Voluntariado com Pessoas em Situação de Sem-Abrigo. E encontro com amigos. Ontem uma ida à LX Factory com um amigo muito querido com o qual não estava há uns anos. Hoje com uma amiga muito querida uma visita à esplanada do Teatro Taborda para terminar o dia em beleza. 

Os dias têm sido cheios de tudo: boa disposição, afectos, muito carinho, humor e muitas outras coisas boas que resultam em bons momentos. Vou-me adaptando, gradualmente, às duas escolas e aos dois ambientes totalmente distintos da escola profissional e do colégio, e a formas diferentes de trabalhar. Tudo isto vai proporcionar-me novas experiências pessoais e profissionais que me trarão certamente grandes benefícios a médio e longo prazo. Sinto-me exausta e ainda agora vou no início, mas sinto-me também viva e com um propósito válido. A vida dá muitas voltas. As respostas aparecem na altura certa.

3.10.15

um turbilhão

Esta foi uma semana muito dura: noites mal dormidas; algumas preocupações; os nervos causados por mudanças e adaptação a novas escolas, alunos e formas de trabalhar. Tudo culminou numa exaustão tremenda. Mas, apesar de tudo, a satisfação é grande. Tenho sido muito bem recebida em ambas as escolas e os desafios são muitos, o que, reconheço , me levará a dar mais de mim para fazer um bom trabalho. 

Tem sido uma surpresa trabalhar com os mais pequeninos, embora seja muito mais difícil do que o que eu imaginava. Contudo, há sempre situações que me fazem esboçar um sorriso. Uma menina do 2.º ano ofereceu-me um rebuçado ao sair da sala de aula. E já perdi a conta aos muitos abraços que recebi dos mais pequeninos. A afectividade tem um papel muito importante no ensino destes pequenos. 

Ainda estou a apalpar terreno. Há muitas dúvidas em relação ao trabalho a desenvolver, mas aos poucos vou vendo como se faz e aprendendo. 

Este fim de semana é de preparação de planificações, de aulas e de materiais (para os do ensino profissional). 

A ver se dou conta do recado!